Valência vs Real Madrid – La Liga By Pedro Pita Soares

Prognóstico Valência vs Real Madrid – La Liga – A ronda 29 foi marcada pelo mau futebol e por alguns resultados surpreendentes. 

La Liga

A excepção foi o Atleti, que tirou a barriga de misérias ao golear em Vitória, numa grande exibição da formação colchonera.

 

 

O líder Barcelona sofreu para vencer o Derby contra o Espanyol no Camp Nou, mas foi mais uma vez salvo pelo suspeito do costume.

Preocupante o mau futebol do Real Madrid no Bernabeu contra o Huesca, as rotações não explicam tudo e Zidane deve ter tomado algumas notas conclusivas no relatório das dispensas que irá elaborar no final da temporada.

Destaque para a extraordinária vitória do Leganés no Derby do Sul de Madrid contra um irreconhecível Getafe, assim como da importantíssima vitória no Valência no Sánchez Pizjuán.

Pé ante pé, sem ninguém dar por nada, o Athletic passou de lutar para não descer a intrometer-se na luta pela Europa. Na luta para evitar a descida houve um triunfo fundamental do Celta nos Balaídos contra um rival directo, o Villareal, mas a toada foi morna.

Os anos passam e Messi continua a dominar esta Liga de forma imperial. Da sua geração restam muito poucos, apenas Piqué, Jordi Alba e Busquets, e esta temporada está a calar as bocas dos críticos que em tempos costumavam atribuir o sucesso do Barça a Xavi e Iniesta.

É considerado de forma quase unanime o melhor jogador da história da Liga, e é de forma objectiva o melhor marcador da história da Liga, o melhor assistente da história da Liga, e de longe o jogador mais influente da história da Liga.

Karim Benzema é um avançado extraordinário, muito inteligente, elegante e tecnicamente um portento. Apesar de ser muito criticado em Madrid por marcar poucos golos acaba de conseguir um feito inédito na história do futebol espanhol ao apontar o golaço que decidiu o jogo do Bernabeu contra o Huesca.

Karim Benzema

É o único jogador da história de La Liga que marcou golos a todas as equipas que defrontou( uma pequena nota: como curiosidade Messi não marcou ao Cadiz, ao Múrcia e ao Xerez, e Cristiano não marcou ao Leganés).

Neste fim-de-semana estiveram os dois em grande destaque, resolvendo os dois confrontos complicados de Real e Barça, e os dois com dois golaços em grande estilo.

Messi a apontar um livre com um toque subtil, quase à panenka, a fazer lembrar o golão que Maradona meteu à Juve, com um defesa do Espanyol a desviar a bola sob a linha.

Benzema marcou um grande golo ao Huesca a acabar o jogo, recebendo um passe de Marcelo na área descaído para a esquerda, simula que vai fazer uma tabelinha, flete para o meio e bola no ângulo. É um daqueles golos que definem a qualidade de um grande jogador.

Pois bem lá como cá, uma vez findos os jogos jogados, chegou a vez dos jogos falados/ escritos.

Comecemos pela forma como a imprensa catalã reagiu ao golaço de Benzema. O Mundo desportivo fala num disparo colado, mas nem descreve a jogada, e o Sport menciona que a defesa do Huesca foi mal batida.

Ou seja a imprensa catalã fez tudo para desvalorizar o lance de Benzema porque evidentemente é um jogador do arqui-rival.

Se a imprensa catalã fez isso a de Madrid não se quis ficar atrás, fazendo aquele patético e ridículo papel que faz há uma década, ao tentar desvalorizar tudo o que Messi faz.

A Marca teve a distinta lata de considerar o golaço como um autogolo!!! Reparem num detalhe o golo é de Messi porque o árbitro disse que era de Messi, e porque as regras do futebol dizem que é de Messi( porque uma bola disparada para a baliza é atribuída ao autor do disparo, ainda que um defesa a desvie), mas a Marca não quer saber disso para nada, para a Marca vale tudo para tirar um golo a Messi, até fazerem este papel palerma.

Mais: para se perceber a credibilidade do jornal esta mesma Marca considerou como golo de Vinícius um mau cruzamento para área do Valladolid, que ia para fora, bateu nas costas de Kiko Olivas, e entrou.

Foi o único jornal que disse isso porque está claro que os outros ainda têm um pouquinho de vergonha na cara, com a Marca as coisas são assim, à descarada, e deve ser curioso ouvir explicar a forma como para eles o golo de Messi contra o Espanyol é autogolo, e o claríssimo autogolo de Kiko Olivas é de Vinicius.

Vem tudo isto a propósito daquilo a que em Espanha se chama o jornalismo de cachecol.

Os jornais desportivos em Espanha têm todos uma linha editorial à qual falta qualquer tipo de objectividade, e servem todos explicitamente clubes, sejam eles o Real e o Atleti na imprensa de Madrid, o Barça na imprensa catalã, os clubes andaluzes na de Sevilha, o Valência na da comunidade Valenciana ou o Athletic na imprensa basca.

Não são, nem procuram ser, minimamente independentes, o freguês que compra sabe que aquilo é o que é.

Por cá também se vislumbram tendências, mas a Bola e o Jogo têm que fazer muito para chegarem ao nível da sem vergonhice e descaramento da Marca ou do Mundo Deportivo, conforme se viu neste fim-de-semana.

Ora o que é interessante é que, de um ponto de vista geral, o futebol espanhol está muito mais pacificado e normalizado que o português.

Todos os clubes de La Liga por exemplo têm relações institucionais mais ou menos normais entre si, sendo que as relações entre os grandes clubes( Real, Barça, Atleti, mas também Valência, Athletic ou Sevilha) na última década é excelente e exemplar. Rivais no campo, mas parceiros fora dele.

Para a imprensa de cachecol fica portanto o papel de ser aquilo que fazem as direcções de comunicação em Portugal, ou seja o trabalho sujo de quem manda nos clubes, fanatizando, fidelizando e sobretudo estupidificando a mentalidade dos adeptos.

Em suma: fazendo propaganda, e da reles e barata, porque aquilo não é jornalismo, uma vez que para falamos de jornalismo é condição sine qua non haver independência.

Esta semana temos jornada a meio da semana, e na Quarta há um tremendo jogo no Mestalla entre o renascido Valência e o Real Madrid de Zidane.

O Valência vem de vencer no Sánchez Pizjuán o Sevilha, e está a escassos três pontos do quarto posto, que dá acesso à Champions.

A formação che demorou a estabilizar um onze, mas desde que o quinteto da frente estabilizou ( Parejo a médio criativo, Carlitos Soler e Guedes nas alas, e a dupla Gameiro/Rodrigo na frente) a equipa começou a ter cada vez melhores resultados, e promete ter uma excelente ponta final de Liga.

No Madrid  Zidane parece estar a querer experimentar todos os jogadores de modo a escolher quem fica e quem sai, e embora no Domingo a equipa tenha tremido, o Mestalla é o primeiro grande teste à evolução do Real desde que o francês pegou na equipa.

Um grande jogo em perspectiva, sobretudo porque o Madrid recuperou sob a batuta de Zizou o poder de fogo, e o Valência recebe os merengues em alta, acredito num jogo aberto com muitos golos. Vejo valor nas seguintes apostas BTTS,é uam delas, mas creio que há ainda mais valor em duas linhas:

  Over 2.5 e BTTS @ 1.80 na Tripbet

  Over 3 @  2.00 na Tripbet

 

Nos restantes jogos vejo valor no BTTS no Athletic vs Levante, acho o back ao Barça no Madrigal bem pago.

Acho que a Real Sociedad vs Betis pode ser um excelente jogo para os overs de golos.

Os jogos do Rayo e do Huesca são duas finais, pelo que podem ser jogos muito tácticos, com poucos golos e muita indisciplina, tal como o Leganés vs Valladolid, está muito em jogo.

Veremos se o Atleti confirma as boas sensações no Wanda contra o Girona, o adversário que eliminou os colchoneros da Copa del Rey este ano, uns catalães que este ano têm a proeza notável de terem vencido no Bernabeu e no Wanda, e como reagem Sevilha e Espanyol às derrotas nesta ronda, eu espero pelo Live nestes encontros.