Valladolid vs Valência e o Balanço da La Liga

Valladolid vs Valência – Este fim-de-semana chega ao fim La Liga, prova que este ano foi, mais uma vez, dominada do princípio ao fim pelo Barcelona de Messi.

 

Valladolid vs Valência A grande desilusão voltou a ser o Real Madrid, que passou uma temporada muito atribulada de que os três treinadores que teve são disso testemunho – Valladolid vs Valência

 

 

Creio que é tempo de fazer um balanço

Vejamos a classificação final da prova na temporada passada:

valladolid vs valencia

 

Vejamos agora a classificação actual da Liga, com uma jornada por disputar:

valladolid vs valencia

Façamos um balanço do que é comparável, que não inclui quer as equipas que desceram na temporada passada, quer as que subiram.

Barcelona:

Este foi do ponto de vista futebolístico o Barça mais cinzento da última década. Em relação à temporada passada a equipa tem menos pontos, menos vitórias, menos golos marcados, mais golos sofridos.

Salvou-se Messi, e pouco mais. Ainda assim mais uma dominou a prova como quis de principio ao fim, conquistando a oitava Liga em onze anos, o sinal de uma hegemonia total.

Valladolid vs Valência

 

Atlético de Madrid:

Volta a ser segundo classificado, à frente do seu arqui-rival Real Madrid, mas esta foi uma temperada repleta de fracassos, os maiores a eliminação na Champions às mãos da Juventus e da Copa del Rey às mãos do modesto Girona.

 

Salvou-se a Supertaça Europeia ganha ao Real Madrid, mas a equipa deu a sensação de decadência e claros sinais de envelhecimento, apesar dos números continuarem a ter aquela regularidade das equipas de Simeone.
Real Madrid.

Um verdadeiro desastre esta primeira temporada depois da saída de Cristiano Ronaldo, e dos seus 50 golos por ano.

Valladolid vs Valência

Começa por perder a Supertaça Europeia para o Atleti, faz uma fase de grupos miserável na Champions, é eliminado da Copa del Rey pelo Barcelona com um 0-3 no Bernabeu, leva 5-1 no clássico do Camp Nou sem o Messi, é eliminado da Champions pelo Ajax, enfim todo um cardápio de horrores. Bateu um record do clube, esta foi a primeira equipa do Real Madrid que sofreu 11 derrotas numa edição de La Liga.

 Valência – Teve um principio de temporada terrível, marcado pelas lesões de jogadores nucleares da equipas, chegou a andar a lutar por não descer, mas lentamente a equipa de Marcelino soube achar o seu posto nesta Liga.

Olhando para a globalidade da temporada chegou às meias-finais da Liga Europa, e está na final da Copa del Rey, e na última jornada conseguiu finalmente chegar ao ambicionado quarto posto da Champions, o que não é nada mau.

Claro que comparando temporadas a mediania futebolística ressalta no facto do Valência ter menos 16 golos e 15 pontos que na temporada passada, mas fica uma boa imagem final.

Getafe:

A grande sensação da prova neste ano, tendo andado boa parte da temporada no quarto posto da Champions.

É das equipas mais impressionantemente regulares sob o ponto vista estatístico, se vencer o Villareal na última ronda o Getafe fará exactamente os mesmos 58 pontos que tinha feito na temporada passada, e a esta altura da prova tem exactamente o mesmo número de golos sofridos( 33) que na temporada passada.

Um autêntico relógio suíço esta máquina de Bordalas, que ainda sonha com um escorregão do Valência que lhe permita atingir o quarto posto da Liga.

Sevilha
Sevilha:

Tal como sucedeu na temporada passada o Sevilha voltou a ter um péssimo final de temporada. Se a doença de Caparrós começou por unir o grupo, esse efeito foi passando, e a equipa mostrou uma enorme fragilidade neste final de temporada.

A época fica marcada pela terrível eliminação da Liga Europa às mãos do Slavia de Praga, a equipa teve alguns picos altos, o maior vencer o Real Madrid por 3-0 no Sánchez Pizjuán, mas deu sempre a sensação de ter uma defesa lenta e macia, e que vacilou na parte final.

atl madrid
Athletic:

Os bascos tiveram uma primeira metade da temporada horrível, tendo pairado a sensação que uma inédita descida de divisão iria acontecer. Fruto de uma grande segunda volta o Athletic conseguiu meter-se no sétimo posto que dá direito à Liga Europa, precisando de um ponto para assegurar este posto, que disputa com o seu arqui-rival Real Sociedad,

Mais um ano em que os bascos se mantiveram fieis à sua política identitária, mas começa a crescer a pressão para o Athletic contratar não bascos, sobretudo porque se dá o paradoxo dos Leões serem neste momento um clube muito sólido financeiramente, dos mais ricos de Espanha, fruto das vendas que tem feito nos últimos anos.

Valladolid vs Valência

A Real Sociedad de San Sebastian teve uns furos abaixo do que se esperava, mas acaba esta temporada em grande. Fez mais pontos, e mostrou ser uma equipa mais equilibrada na temporada passada, sofrendo menos golos e marcando menos golos.

Fica a excelente imagem da ponta final, é um clube histórico, continua firmemente estabilizado na Liga, a questão é se pode consolidar um projecto para ser um clube que vá mais vezes à Liga Europa.

O Espanyol de Rubi teve um extraordinário inicio de temporada, no qual foi uma das equipas que jogou um futebol de maior qualidade na Liga. Vieram as lesões e uma quebra brutal, na qual a equipa chegou a ameaçar descer, mas na ponta final a formação barcelonesa recuperou sensações e resultados.

Tudo somado mais irregularidade, menos irregularidade, o Espanyol fez uma prova em que teve números em tudo semelhantes aos da temporada passada.
Betis.

A segunda temporada de Quique Setién à frente do Real Betis Balompié foi marcada pelo fracasso, e a contestação ao técnico dos andaluzes parece que torna inevitável a sua saída no fim do ano.

A eliminação da Liga Europa às mãos do Rennes, e na meia-final da Copa del Rey pelo Valencia marcaram muito do destino deste Betis, cujo futebol encantador do ano passado parece ter-se tornado mais especulativo e inconsequente. Os 18 golos a menos e os 13 pontos a menos apenas plasmam em números aquilo que se viu em campo.

Alavés:

Os bascos de Vitória estiveram muito tempo a lutar pelo quarto posto de Champions, fruto de apresentarem uma equipa com um futebol muito organizado e veloz, e orgulhavam-se de dizer que eram o clube mais bem classificado do País Basco.

 

No final do ano pagaram uma factura muito pesada por terem andado em voos muito altos. Interessante que acabam com números muito semelhantes aos da temporada passada, sendo que no ano passado a temporada teve o sentido inverso ao da actual, começaram muito mal e acabaram em grande.


Eibar:

Os anos passam e o milagre continua. Uma equipa de uma pequena terra basca que, ano após ano, se mantém em La Liga, com um orçamento muito inferior ao dos restantes competidores.

Esta foi talvez a temporada mais tranquila do Eibar desde que está no escalão principal do futebol espanhol, soube consolidar processos, e esteve sempre a meio da tabela. Vinha de um ano de ouro, no qual obteve a melhor classificação de sempre do clube, e não é nada fácil repetir uma temporada tranquila.

Leganés:

Os madrilenos foram durante muito tempo mais uma equipa a lutar pelos postos europeus, tendo sofrido uma tremenda queda no final da temporada.

Para um clube que luta pela permanência foi uma época a todos os títulos excelente, mas tendo em conta o que podia ter sido foi uma temporada que soube a pouco, sobretudo quando olham para o sítio onde estão os seus arqui-rivais do Getafe. Os números são em tudo semelhantes aos da temporada passada.


Villareal:

A grande desilusão da prova, uma equipa que foi formatada para lutar por um posto europeu, e acabou a lutar duramente por não descer de divisão.

A equipa jogou francamente mal durante boa parte da temporada, tendo uma boa prova na Liga Europa compensado o que não fizeram em Espanha.

Os menos 18 pontos e 10 golos marcados que na temporada dizem tudo, uma temporada para esquecer.

Valladolid vs Valência

Levante:

Uma das equipas mais interessantes e excitantes de La Liga, jogou um futebol francamente bonito e ofensivo, para se ter uma noção acabou com mais golos marcados que o Atleti.

Em compensação a sua defesa foi o seu grande calcanhar de Aquiles, tendo por causa disso sofrido bastante na ponta final para assegurar a permanência no escalão principal. É uma equipa cada vez consolidada na primeira divisão.


Celta de Vigo:

Matematicamente ainda não assegurou a permanência, mas quase, na justa medida em que tem seis golos de vantagem, e precisaria de perder o último jogo nos Baliados, e que o Girona goleasse.

Ainda assim esta temporada foi muito atribulada, três treinadores, a lesão de Aspas, muito sofrimento. Yago Aspas, o mago da equipa, recuperou a tempo de conseguir um forcing final que assegurou in extremis a permanência.

Uma equipa que precisa de reflectir nas suas tremendas debilidades neste defeso.
Girona. Um desastre estrepitoso na segunda volta condenou os catalães a uma mais que certa descida de divisão.

O problema das equipas com planteis curtos é este, quando se lesionam jogadores nucleares não têm outros com categoria para os substituir, a certa altura da temporada deu a clara sensação de terem atirado a toalha ao chão.

O exemplo de um clube que subiu demasiado alto, fruto da sua profunda ligação ao independentismo catalão, mas não soube consolidar uma milonga que tentou vender, a do novo derby catalão entre eles e o Barça.

Valladolid vs Valência

Um derby precisa de contrastes, e o derby de Barcelona entre Barça e Espanyol é centenário, e tem profundas raízes políticas e sociais, o Barça não tem, nem nunca terá, nenhuma rivalidade com o Girona, porque o Girona simplesmente não é do seu nível.

Valladolid vs valencia

Prognóstico – Valladolid vs Valência

 

O Valência visita o José Zorilla numa situação vantajosa para assegurar o importantíssimo quarto posto da Champions.

As suas contas são muito simples, ganha e é quarto. Se empata ou perde o Getafe terá que fazer o mesmo resultado, sendo que se o Sevilha vencer podem acabar três equipas em igualdade pontual, o que complica as suas contas.

 

Portanto as contas do Valência são simples: vencer. Enfrenta um Valladolid que se salvou na última ronda, e que portanto irá jogar este jogo em fase de descompressão depois de ter passado boa parte da temporada abaixo da linha de água. Uma equipa forte em casa, que habitualmente marca.

Pedro-Pita-Soares
Penso que o Valência não sabe defender, pelo que a forma como vai enfrentar o encontro do José Zorilla é a vertigem e a busca do golo. Também acredito que o Valladolid marque, pelo que vejo valor nas seguintes linhas.

 

BTTS @ 1.85 na Tripbet

Over 2.75 @  1.85 na Tribet

 

Numa small stake, gosto igualmente de uma linha especial:

 

BTTS e Valência @ 3.0 na Tripbet

Celta vs Barcelona – La Liga By Pedro Pita Soares

Celta vs Barcelona – A jornada ficou marcada pelo título do Barça, que precisou do seu mago argentino Messi para ganhar o jogo decisivo contra o Levante no Camp Nou 

 

La Liga

O Atleti sofreu bastante para levar de vencida um Valladolid que mostrou qualidades para continuar na Liga – Celta vs Barcelona

 

Em Vallecas o pesadelo do Madrid continuou, com Zidane a mostrar incapacidade para inverter o rumo do descalabro.

Na luta pelo quarto posto da Champions grande surpresa da jornada as três derrotas de Getafe, Sevilha e Valencia, com os madrilistas a queixarem-se amargamente de uma arbitragem muito polémica.

Na luta por não descer o Villareal parece estar a caminho da salvação, e há três equipas empatadas com 37, Celta, Levante e Girona, que lutam para fugir dos postos de descida, e uma delas ficará no temido 17º posto da Liguilha.

Celta vs Barcelona

Esta foi a semana de Messi. No Sábado começou no banco antes de ser ele, sempre ele, a decidir o título com um golaço. Na quarta foi absolutamente decisivo, e arrasou quase só um Liverpool dominador mas perdulário.

Uma semana que seria épica na carreira de qualquer outro jogador, mas que na vida de Messi é mais um dia no escritório. Vejamos um quadro com os títulos no futebol espanhol neste século:

celta vs barcelona

Várias conclusões se podem tirar do quadro.

Antes de mais houve uma série de equipas, as duas maiores o Valência e o Depor, mas também o Sevilha e o Zaragoza, que entraram em decadência no século XXI, fruto de várias circunstâncias, quer internas quer externas.

O Atleti de Simeone também houve um tempo em que parecia que ia intrometer-se no domínio barcelonista mas nos últimos quatro anos não venceu nada.

O Real Madrid, que no século XX era o clube dominador do futebol espanhol, é hoje um clube rival do Barça, mas que normalmente perde.

 

Champions Trip – Novo Bónus na Tripbet com 100% de Bónus até 20€

 

Para se perceber a queda madrilista o clube venceu 2 ligas nos últimos 11 anos, e nem a contratação de Cristiano Ronaldo, o maior goleador da história do Real Madrid, foi capaz de inverter este ciclo infernal dos catalães.

Neste século o Barça impôs uma supremacia total no futebol espanhol, graças ao poder do futebol do seu mago de Rosário, que ganhou com e sem Ronaldinho, com e sem Iniesta e com e sem Xavi.

Indiscutivelmente o melhor jogador da história de La Liga, aquele que marcou mais golos, fez mais assistências, acima de tudo o melhor jogador, aquele que mudou o curso da história do futebol espanhol.

Antes dele o Barça tinha 16 títulos, quase metade dos ganhos pelo Real Madrid, hoje tem 26, e está a duas Ligas de igualar as irreais e inimagináveis 12 Ligas de Gento.

Messi

Mourinho chamava à atenção há uns dias que se Messi vencer a Champions ganhará a prova com o quarto treinador diferente, Rijkaard, Guardiola, Luis Enrique e Valverde.

Celta vs Barcelona

 

Acrescentou o treinador português que isto apenas significa que deve ser mais fácil vencer com ele. À margem da óbvia bicada a Guardiola, nesta temporada com o cinzentismo exibicional do Barça está a fazer com que o papel de Leo Messi sobressaia ainda mais.

Às vezes vejo um debate engraçado entre madrilistas sobre o facto do Bernabeu, um estádio exigente mas que sabe reconhecer os melhores mesmo que estes vestissem a camisola do Barça, tendo Cruyff, Maradona, Ronaldinho, Xavi ou Iniesta sido aplaudidos no templo blanco, o Bernabeu dizia nunca aplaudiu o grande Leo Messi uma única vez que fosse.

Tenho uma tese sobre isto, não creio que seja falta de senhorio ou de desportivismo. Os outros foram aplaudidos quando o Barça era um clube que ganhava episodicamente, e o Madrid ganhava. Quando o madrilista olha para Messi vê nele o quadro dos títulos do Barça, vê alguém que foi capaz de inverter um ciclo no futebol espanhol.

Os outros faziam umas flores de vez em quando, Messi é o seu terror há 15 anos consecutivos, e como dizia na semana passada o madrilista Juamma Rodriguez estão a contar os dias para que ele se aposente…

Celta de Vigo

Celta vs Barcelona

 

O Celta chega a este encontro em boa forma, depois de uma época muito atribulada com muita turbulência, Yago Aspas finalmente recuperou a tempo deste final de época, e com a magia das suas botas o Celta cresce muito.

Nos últimos jogos a equipa ganhou solidez na defesa, e parece estar a enfrentar de forma muito séria o desafio da permanência na Liga.

Enfrenta um Barça que está em estado de graça, depois de ter vencido a Liga e da vitória contra o Liverpool na primeira mão da meia final da Champions.

Se contra o Levante Valverde já fez rotações, e teve que sacar Messi a contra gosto, porque a Liga tinha que ser ganha, parece-me mais que previsível que no Sábado faça exactamente o mesmo nos Balaídos, não me espantando nada que fizesse o mesmo que fez em Huesca, ou seja jogar com 10 suplentes, uma vez que este encontro surge entre as duas mãos das meias finais da Champions League

 

As casas de apostas têm exactamente a mesma visão, a prova é que as odds no Back ao Celta são mais baixas que as do Back ao Barça.

 

Pedro-Pita-Soares

Prevejo um jogo com uma equipa muito empenhada, e outra com um onze muito dessincronizado, em ritmo de fim de época e a cumprir calendário.

 

Vejo por isso valor na seguinte linha para o jogo

Celta vs Barcelona

 

Under 3 golos @ 1.75 na Tripbet

 

Adicionalmente creio que vale a pena fazer uma small stake em duas linhas especiais:

 

-Iago Aspas a marcar @ 1.95 na Tripbet

Iago Aspas a marcar o primeiro golo @  4.10 na Tripbet

 

Champions Trip – Novo Bónus na Tripbet com 100% de Bónus até 20€

Real Sociedad vs Getafe – La Liga By Pedro Pita Soares

Real Sociedad vs Getafe – A jornada 34 de La Liga decidiu o pouco que havia para decidir na frente, sendo seguro que o Barça vai ganhar a prova, o Atleti vai ser segundo e o Madrid terceiro.

La LigaO Barça passeou a sua classe em Vitória, vencendo com cinco suplentes de forma imperial – Real Sociedad vs Getafe

 

 

O Atleti sofreu para vencer um jogo muito disputado contra o Valencia, enquanto o Real deixou boas sensações em Getafe, num jogo em que brilhou o jovem Brahim Diaz.

A luta pelo quarto posto da Champions continua ao rubro, com o Sevilha a golear o Rayo, o Valencia a perder no Wanda e o Gatafe a aguentar-se no posto a quatro rondas do fim.

Depois de uma temporada atribulada com a vitória no Butarque o Athletic parece ter assegurado o sexto posto da Liga Europa.

Na luta para evitar a descida a vitória no Anoeta deve ter chegado para salvar o Villareal, assim como a goleada do Levante ao Betis, ao passo que o triunfo do Valladolid ante o Girona significou passar acima da linha de água, e aprofundar o pesadelo dos catalães.

O Huesca e o Rayo têm uma tarefa ciclópica à sua frente, e podem reservar lugar na Liga 1 2 3 do ano que vem.

Houve vários tópicos interessantes na agenda noticiosa desta semana para os três grandes, uns mais concentrados no que resta da época, outros já a pensar em 2020.

No Real Madrid o regresso de Zidane foi assumido desde o princípio pelo clube como significando que havia que fazer uma limpeza de balneário, e renovar a equipa.

Ora tendo Zizou vencido as últimas três Champions ninguém teria mais força para renovar o plantel que o treinador francês.

O problema é que faltavam três meses para acabar a época, e que sendo o Real Madrid o clube que é, e com a cultura que tem, as especulações iriam ser mais que muitas.

Muito do que tem saído na imprensa não tem sido do agrado da massa adepta merengue, uma vez que Zidane parece não gostar especialmente de nenhum dos quatro jovens nos quais o Real Madrid deposita tantas esperanças: Lorente, Vinicius, Brahim e parece que até Rodrigo.

Karim-Benzema

Percebe-se a lógica do francês, um clube como o Madrid precisa de jogadores feitos, não de esperanças, mas parece que a cúpula do clube não está de acordo com este ponto de vista, argumentando com razão que Zidane não foi contratado para correr com os jovens mas sim os jogadores consagrados, que o treinador parece defender à morte.

No Atleti a actualidade tem sido marcada pelas sequelas do caso Costa. Parece que o PSG e o Atleti estão a estudar uma possível troca de sul americanos, com Costa a rumar a Paris e Cavani a Madrid, ambos a contas com problemas disciplinares nos seus clubes.

Foi igualmente muito notada a forma como o Simeone festejou a vitória ante o Valencia nesta quarta-feira, quase como se tivesse alguma importância transcendental.

Real Sociadad vs Getafe

O Atleti na teoria está exactamente na mesma situação do Real Madrid, não tem qualquer objectivo nesta temporada, não pode ganhar nada.

O que é que pode adoçar este fracasso, numa temporada em que o clube tanto investiu e da qual se esperava tanto?

Precisamente poder dizer que comparativamente foi menos mau, e que pelo segundo ano consecutivo os colchoneros ficam à frente do seu arqui-rival.

A picardia típica das rivalidades dos derbys.

No Barça já se contam os dias para a meia final da Champions contra o Liverpool.

A equipa passeou a sua classe no País Basco, mas foi muito questionada a utilização de Leo Messi na última meia hora do encontro, quando o resultado já estava 0-2, e nada havia para decidir, quando o craque do Barça tem que ser poupado para os jogos mais importantes que se seguem.

A questão da luta pela Bota de Ouro com Mbappé, que seria a sexta do argentino que assim bateria o seu próprio record de cinco Botas de Ouro, parece estar na origem desta utilização, como aliás se viu no jogo uma vez que a equipa deixou de jogar e passou antes a procurar ajudar Messi a meter um golo, mas o problema é se ele por acaso se lesiona.

Volta portanto a ser questionada a forma como Messi manda no Barça, onde parece ser ele quem decide quando joga e não joga.

Real Sociadad vs Getafe

Jogo decisivo para os madrilenos no Anoeta. A Real Sociedad está em crise, perdeu três dos últimos quatro jogos.

As lesões de jogadores tão importantes e nucleares como Illaramendi, Zurutuza ou Januzaj, a que se juntou recentemente Llorente, tornaram a Real uma equipa muito mais frágil e fraca, e Alguacil não consegue fazer omeletes sem ovos.

Esta quebra faz com que a equipa esteja de momento sem objectivos, nem pode ir à Europa, nem descer.

O Getafe vem de uma jornada onde se conseguiu manter no seu sonhado quarto posto da Champions, onde se mantém contra ventos e marés, mostrando uma consistência assinalável.

Real Sociadad vs Getafe

 

A equipa de Bordalás continua a ser uma verdadeira rocha, sólida, segura e capaz de fazer o que o jogo pede, tendo ainda por cima sido respeitada pelas lesões.

Olhando para os quatro jogos que faltam para além desta deslocação ao Anoeta o Getafe recebe o Girona e o Villareal no Coliseum, dois jogos relativamente acessíveis, e pelo meio desloca-se ao Camp Nou.

Assim sendo este é um jogo crucial para as aspirações europeias da equipa, uma verdadeira final, e poucas oportunidades terá o Getafe como esta, uma vez que os bascos estão muito desfalcados.

Pedro-Pita-Soares

Vistos estes pressupostos, acho que há valor nas seguintes linhas:

Real Sociedad vs Getafe

 

 Getafe AH 0.0 @ 1.95 na Tripbet

Under 2.5 @ 1.65 na Tripbet

 

Sabe mais sobre a nova casa de apostas Tripbet com a nossa Review completa -AQUI

Betis vs Valência – La Liga By Pedro Pita Soares

Betis vs Valência – A ronda 32 foi muito importante e num certo sentido, decisiva.

La LigaA selecção de valores tardou mas está a chegar à Liga, e as equipas mais fortes, apesar de terem andado boa parte da prova abaixo do seu nível, estão a começar a impor a sua Lei – Betis vs Valência 

 

O Barça rodou dez jogadores no onze que alinhou em Huesca. O destaque da partida foi o jovem talento da fábrica de La Massia Riqui Puig, o único raio de brilho num jogo cinzento e feio dos catalães.

 

O Atleti sofreu contra o Celta, mas conseguiu a vitória graças ao grande portero Oblak, que conseguiu defender tudo, mesmo tendo à sua frente uma equipa com dois canteranos como centrais, e sem a segurança que Thomas dá ao meio campo.

O Real Madrid foi ao subúrbio de Leganés prolongar a agonia de uma temporada horrível. Na Conferencia de Imprensa antes do jogo Zidane tinha dito que o Real Madrid tinha alguns grandes jogadores para realizar receita com vendas, mas por este andar perdem valor a cada jogo que jogam.

Betis
Na luta pelo quarto posto o Sevilha conquistou o ambicionado lugar da Champions League depois de vencer o derby da cidade contra o Betis, e o Valência reentrou na luta depois de vencer o derby valenciano contra o Levante.

Jogo louco no José Zorrilla, com o Getafe a conseguir miraculosamente empatar com uma unidade a menos ao minuto 95 com um penalty de VAR polémico, que pode decidir os milhões da Champions e uma descida de divisão.

Ainda na luta pela Europa o Athletic tinha uma final contra o Rayo Vallecano, e não vacilou, e venceu merecidamente, foram a equipa mais forte, apesar dos madrilenos se terem queixado amargamente de uma arbitragem muito controversa. O Alavés atrasou-se com a derrota em Cornellá El Plat contra o Espanyol.

Betis vs Valência 

Na luta pela salvação destaque para importantíssima vitória do Villareal no Montilivi, que permitiu à equipa respirar um pouco melhor ao cabo de uma Liga muito sofrida. Huesca e Rayo parecem estar condenados, e três pontos separam cinco equipas: Valladolid, Celta, Levante, Villareal e Girona.

Cinco galos para um poleiro e meio, uma vez que o 17º classificado no final do ano tem que disputar uma eliminatória a duas mãos com o vencedor da liguilha da Liga 1,2,3.

A equipa com que o Barça alinhou em Huesca provocou uma polémica. Qualquer site espanhol à hora do jogo foi testemunha da tremenda indignação dos adeptos das equipas que lutam por não descer. Uma das coisas que estes adeptos solicitavam era a limitação do uso de jogadores na Liga das equipas B.

Recorde-se antes de mais o 11 do Barça: Ter Stegan; Todibo, Murilo e Untiti; Vidal, Wagué, Alena, Puig e Malcom; Boateng e Dembelé. Salta à vista antes de mais que o Barça alinhou com um titular, o seu guarda-redes alemão Ter Stegan, e que ainda por cima decidiu mudar o seu tradicional 4-3-3 para um sistema táctico de 3-5-2. Muitas mudanças para um jogo só.

Acresce a isso que o Barça foi à sua equipa B buscar Wagué, Puig e Abel Ruiz, invocando uma alínea regulamentar que permite aos clubes realizarem esse expediente se alegarem ter lesões na equipa titular.

Betis vs Valência 

Estádio_do_valência

 

Claro que o Barcelona apresentou os relatórios médicos das lesões, mas obviamente que foi questionada a improbabilidade de meia equipa do Barça se lesionar entre duas eliminatórias da Champions.

Do que se queixam os adeptos do Rayo, do Valladolid, do Villareal ou do Girona?

 

De terem enfrentado o Barça com todos, incluindo com Messi, enquanto o Huesca jogou contra os catalães contra a terceira equipa dos catalães.

E argumentam que ao fazer isto o Barça está a adulterar a competição na justa medida em que enfrentar a primeira equipa dos catalães é totalmente diferente do que jogar contra a equipa que apresentaram.

E que alinhando com a sua equipa C os catalães podem decidir quem fica e quem desce de divisão.

O discurso não oficial do Barcelona responde a estes argumentos dizendo que estes clubes se têm que queixar é do Atleti e do Real Madrid, o Barça não tem culpa de estar a uma dezena de pontos desta equipas e de ter feito os pontos suficientes atempadamente para poder gerir o esforço de uma equipa que ainda está nas três frentes. E acrescenta que o Real Madrid nos últimos anos quando disputou apenas Champions também fez o mesmo na Liga.

betis_fc

É uma polémica muito picante e interessante, na qual penso que os clubes pequenos têm as suas razões de peso, mas também é normal que os clubes grandes façam isto quando podem, uma vez que as épocas são longas e extenuantes, e é normal este tipo gestão.

E hoje o Barça, tal como ontem o Madrid, faz o que pode fazer.

Jogo crucial no Domingo de Páscoa no Benito VillaMarín, este jogo é uma verdadeira final para o Betis no objectivo de atingir os postos da Liga Europa.

O Betis de Quique Setién vem de perder o Derby no Sanchez Pizjuán, mas apesar disso teve uma excelente reacção final na qual a equipa encostou o Sevilha às cordas, fruto das boas entradas de Tello e Joaquin, que deram mais largura ao futebol da equipa, que por vezes tem o defeito de fazer demasiado jogo interior.

Apesar de estar numa mini crise de resultados o Betis marcou nos últimos nove jogos da Liga, sendo uma equipa que se tem caracterizado por marcar e sofrer muitos golos, ou seja voltando ao registo típico das equipas de Quique Setién.

Se para os sevilhistas este jogo é uma final para os valencianos também é. O Valência está numa série excelente de resultados, e tem em ponto de mira o quarto posto dos milhões da Champions.

 

A equipa recuperou a chave do seu bom futebol com um grande Parejo, o regresso de Guedes e a subida de forma de Carlitos Soler, e agora até Anti Mina reapareceu. Uma equipa que está a fazer um tremendo final de temporada, depois de uma primeira parte de temporada muito sofrida e irregular.

Pedro-Pita-Soares
Creio estarem reunidos todos os ingredientes para um belo jogo de futebol, muito entretido e com golos.

Assim sendo penso haver muito valor em duas linhas:

Over 2.5 de golos @ 1.85 na Tripbet

BTTS  @ 1.65 na Tripbet

Adicionalmente penso haver valor em seguir o jogo no Live, penso que pode ser um jogo com muitos golos, por exemplo o jogo da Copa del Rey entre estas duas equipas de Sevilha terminou com um 2-2, e poderiam ter sido muitos mais golos.

Barcelona vs Atlético de Madrid – La Liga

La LigaSábado ás 19.45, em Camp Nou. – A cidade condal recebe o jogo do título.

Barcelona vs Atlético de Madrid – La Liga – Um clássico de La Liga entre duas equipas muito distintas, com filosofias diferentes de futebol, mas tremendamente fortes e competitivas.

O Barcelona é de um ponto de vista global a equipa que melhor futebol jogou na última década, a era de Messi. É certo que não teve neste tempo a tradução em títulos da tremenda hegemonia do seu futebol, mas isso também se deve ao facto do Barça tem sido sempre o rival a abater.

Claro que como se viu mais uma vez na Terça-feira ter um ET na frente dá muito jeito, resolve problemas que parecem insolúveis e disfarça debilidades, mas o Barça soube construir à volta de Messi equipas que apoiassem o seu futebol mágico.

Karim-Benzema

O objetivo principal da contratação de Cristiano Ronaldo pelo Real Madrid era mudar este ciclo hegemónico, e a prova da força do Barça é que em nove temporadas do português, o melhor marcador da história dos merengues, no Real Madrid a equipa sagrou-se campeã da Liga por duas vezes, enquanto o Barça venceu seis títulos, e note-se que isso não se deveu ao português, que mereceu cada cêntimo que ganhou e mostrou ser um jogador incrível e extraordinário e fez muito mais do que qualquer adepto merengue sonhou, mas sim aos méritos do Barcelona.

Para solucionar um problema da falta de títulos nos últimos anos, designadamente internacionais, leia-se a Champions, o Barça decidiu ir ao País Basco buscar o treinador do Athletic Ernesto Valverde, um coach pragmático, cujas equipas se costumavam caracterizar por algum cinismo e uma tremenda eficácia. Um treinador com uma filosofia muito diferente do guardiolismo, que o clube escolheu como uma mudança de paradigma.

Os resultados estão à vista, e não fosse uma noite terrível em Roma na temporada passada e poderíamos dizer que a escolha foi acertadíssima. O Barça de Valverde é talvez o primeiro Barça comparável ao de Guardiola em muitos anos, não no estilo de jogo, mas na sua força futebolística.

A equipa aprendeu a sofrer quando tem que sofrer, a jogar sem bola, a fazer aquilo que o jogo pede que seja feito. E tornou-se muito forte mentalmente, capaz de virar resultados e saber ter paciência.

A forma imperial como o Barça está a dominar por completo as duas últimas Ligas é impressionante. No ano passado, ainda com Cristiano no Madrid, acabou com 17 pontos de avanço para os merengues, e este ano vai pelo mesmo caminho.

Messi

Há claro demérito do Real nisso, mas qualquer observador reconhece que este Barça de Valverde é uma equipa muito séria e tremendamente competitiva.

Se o Barça está numa década de ouro, o seu adversário neste Sábado também pode dizer o mesmo. Quando há oito anos Diego Pablo Simeone pegou no Atlético de Madrid a equipa estava a quatro pontos de descer novamente de divisão.

O resto foi história: nessa temporada ficou a um ponto (!) da Champions, e nos anos seguintes a equipa regressou aos títulos nacionais e internacionais. Numa década a equipa passou do quinquagésimo sétimo posto no ranking da UEFA para o atual quarto.

Como se operou este milagre? Vejamos ponto a ponto:

1- Gestão financeira rigorosa. O Atleti na última década não fez as loucuras do passado, foi gastando em função das suas possibilidades, contratando barato e vendendo caro.
2- Crescer passo a passo. O clube não estabeleceu os títulos como objetivos prioritários mas sim ir consolidando resultados. Os títulos- três Ligas Europas, duas supertaças europeias, duas taças do Rey, uma Liga Espanhola- vieram como uma consequência de um crescimento natural. Num certo sentido a manutenção de Simeone prende-se exactamente com o assumir desta filosofia.
3- Boa formação. O Atleti durante quase uma década não formou jogadores para a equipa, a descida obrigou o clube a olhar para dentro. A apostar nos miúdos, no Torres, nos De Geas, no Gabi, no Koke, no Thomas. Muito importante: alguns dos craques saíram, mas os jogadores de classe média ficaram, e formam a espinha dorsal da equipa. O exemplo do que deve ser a formação no fundo.
4- Excelente scouting. O Atleti na última década comprou muito melhor. Exemplos? Courtois, Oblak, Godin, Filipe Luis, Falcão, Forlan, Aguero, Griezmann. O scouting do clube mostrou estar um passo à frente da concorrência.
5- Ter uma equipa com mentalidade campeã, ou seja fazer tudo para vencer o próximo jogo, tem a cultura do esforço, do sacrifício e do trabalho. Ter os pés no chão mas ser sempre competitivo. Quando este ano renovou perguntaram ao Cholo Simeone qual era o objetivo para esta época, e ele respondeu: O Levante. O próximo jogo portanto.
6- Last but not least ter um clube onde todos remam para o mesmo lado. Cholo Simeone e a sua filosofia de jogo a jogo uniram o clube, no Atleti toda a gente tem o mesmo discurso, do mais humilde adepto ao Presidente. Dos três grandes é de longe o clube mais estabilizado, com menos contestação interna quando perde, o que é um fator muito positivo.

Claro que todos estes fatores atenuam o desastre de Turim neste ano, no qual a equipa ficou com as costuras à mostra e foi eliminada de forma terrível e quase humilhante depois de um 2-0 na primeira mão.

Muita gente começou a falar no fim de ciclo de Simeone, até porque há vários jogadores nucleares que vão sair para o ano, mas a forma como nas últimas semanas a equipa soube reagir ao abismo que se aproximava foi notável.

De um ponto de vista futebolístico o Atleti é a mais italiana das equipas espanholas. É uma equipa que dá a bola ao adversário, tenta controlar o espaço e procura resolver nos contra ataques.

Tem jogadores rápidos e combativos, e muitos grandes jogadores não se adaptaram a este tipo de futebol, de Gaitan ao flop de Vitolo.

Neste Sábado no jogo do título o Atleti está nas suas sete quintas, não tem qualquer tipo de pressão para vencer, tem tudo a ganhar e nada a perder.

Creio que Simeone vai apostar no meio campo dos quatro elefantes (Thomas- Rodri- Koke- Saul), com Griezmann e Morata na frente. Apesar da retoma de resultados o jogo contra o Girona voltou a gerar duvidas na equipa, sobretudo pela fragilidade defensiva.

No Barça depois das loucas rotações do Madrigal, volta a equipa normal, com Messi no onze, mas sobretudo com Piqué e Rakitic.

O Barça na sua máxima força é uma equipa diferente da que se viu em Castellón, e a forma épica como a equipa conseguiu empatar um jogo completamente perdido nos descontos só lhe deu ainda mais força para enfrentar esta final.

Barcelona vs Atlético de Madrid

Não creio que o Barcelona vá jogar à defesa para o 0-0, não é uma equipa formatada para isso.

Pedro-Pita-Soares

Vejo valor para três linhas:

Barcelona @ 1.80 na Tripbet

 

O Barcelona está muito forte. A descompressão competitiva do Madrigal foi passageira, e o facto de não ter tido consequências só pode ser positiva.

Over 2.5 @ 1.85 na Tripbet

Acredito num jogo com golos

BTTS @ 1.75 na Tripbet

Uma linha corretiva e de recurso. 

Valência vs Real Madrid – La Liga By Pedro Pita Soares

Prognóstico Valência vs Real Madrid – La Liga – A ronda 29 foi marcada pelo mau futebol e por alguns resultados surpreendentes. 

La Liga

A excepção foi o Atleti, que tirou a barriga de misérias ao golear em Vitória, numa grande exibição da formação colchonera.

 

 

O líder Barcelona sofreu para vencer o Derby contra o Espanyol no Camp Nou, mas foi mais uma vez salvo pelo suspeito do costume.

Preocupante o mau futebol do Real Madrid no Bernabeu contra o Huesca, as rotações não explicam tudo e Zidane deve ter tomado algumas notas conclusivas no relatório das dispensas que irá elaborar no final da temporada.

Destaque para a extraordinária vitória do Leganés no Derby do Sul de Madrid contra um irreconhecível Getafe, assim como da importantíssima vitória no Valência no Sánchez Pizjuán.

Pé ante pé, sem ninguém dar por nada, o Athletic passou de lutar para não descer a intrometer-se na luta pela Europa. Na luta para evitar a descida houve um triunfo fundamental do Celta nos Balaídos contra um rival directo, o Villareal, mas a toada foi morna.

Os anos passam e Messi continua a dominar esta Liga de forma imperial. Da sua geração restam muito poucos, apenas Piqué, Jordi Alba e Busquets, e esta temporada está a calar as bocas dos críticos que em tempos costumavam atribuir o sucesso do Barça a Xavi e Iniesta.

É considerado de forma quase unanime o melhor jogador da história da Liga, e é de forma objectiva o melhor marcador da história da Liga, o melhor assistente da história da Liga, e de longe o jogador mais influente da história da Liga.

Karim Benzema é um avançado extraordinário, muito inteligente, elegante e tecnicamente um portento. Apesar de ser muito criticado em Madrid por marcar poucos golos acaba de conseguir um feito inédito na história do futebol espanhol ao apontar o golaço que decidiu o jogo do Bernabeu contra o Huesca.

Karim Benzema

É o único jogador da história de La Liga que marcou golos a todas as equipas que defrontou( uma pequena nota: como curiosidade Messi não marcou ao Cadiz, ao Múrcia e ao Xerez, e Cristiano não marcou ao Leganés).

Neste fim-de-semana estiveram os dois em grande destaque, resolvendo os dois confrontos complicados de Real e Barça, e os dois com dois golaços em grande estilo.

Messi a apontar um livre com um toque subtil, quase à panenka, a fazer lembrar o golão que Maradona meteu à Juve, com um defesa do Espanyol a desviar a bola sob a linha.

Benzema marcou um grande golo ao Huesca a acabar o jogo, recebendo um passe de Marcelo na área descaído para a esquerda, simula que vai fazer uma tabelinha, flete para o meio e bola no ângulo. É um daqueles golos que definem a qualidade de um grande jogador.

Pois bem lá como cá, uma vez findos os jogos jogados, chegou a vez dos jogos falados/ escritos.

Comecemos pela forma como a imprensa catalã reagiu ao golaço de Benzema. O Mundo desportivo fala num disparo colado, mas nem descreve a jogada, e o Sport menciona que a defesa do Huesca foi mal batida.

Ou seja a imprensa catalã fez tudo para desvalorizar o lance de Benzema porque evidentemente é um jogador do arqui-rival.

Se a imprensa catalã fez isso a de Madrid não se quis ficar atrás, fazendo aquele patético e ridículo papel que faz há uma década, ao tentar desvalorizar tudo o que Messi faz.

A Marca teve a distinta lata de considerar o golaço como um autogolo!!! Reparem num detalhe o golo é de Messi porque o árbitro disse que era de Messi, e porque as regras do futebol dizem que é de Messi( porque uma bola disparada para a baliza é atribuída ao autor do disparo, ainda que um defesa a desvie), mas a Marca não quer saber disso para nada, para a Marca vale tudo para tirar um golo a Messi, até fazerem este papel palerma.

Mais: para se perceber a credibilidade do jornal esta mesma Marca considerou como golo de Vinícius um mau cruzamento para área do Valladolid, que ia para fora, bateu nas costas de Kiko Olivas, e entrou.

Foi o único jornal que disse isso porque está claro que os outros ainda têm um pouquinho de vergonha na cara, com a Marca as coisas são assim, à descarada, e deve ser curioso ouvir explicar a forma como para eles o golo de Messi contra o Espanyol é autogolo, e o claríssimo autogolo de Kiko Olivas é de Vinicius.

Vem tudo isto a propósito daquilo a que em Espanha se chama o jornalismo de cachecol.

Os jornais desportivos em Espanha têm todos uma linha editorial à qual falta qualquer tipo de objectividade, e servem todos explicitamente clubes, sejam eles o Real e o Atleti na imprensa de Madrid, o Barça na imprensa catalã, os clubes andaluzes na de Sevilha, o Valência na da comunidade Valenciana ou o Athletic na imprensa basca.

Não são, nem procuram ser, minimamente independentes, o freguês que compra sabe que aquilo é o que é.

Por cá também se vislumbram tendências, mas a Bola e o Jogo têm que fazer muito para chegarem ao nível da sem vergonhice e descaramento da Marca ou do Mundo Deportivo, conforme se viu neste fim-de-semana.

Ora o que é interessante é que, de um ponto de vista geral, o futebol espanhol está muito mais pacificado e normalizado que o português.

Todos os clubes de La Liga por exemplo têm relações institucionais mais ou menos normais entre si, sendo que as relações entre os grandes clubes( Real, Barça, Atleti, mas também Valência, Athletic ou Sevilha) na última década é excelente e exemplar. Rivais no campo, mas parceiros fora dele.

Para a imprensa de cachecol fica portanto o papel de ser aquilo que fazem as direcções de comunicação em Portugal, ou seja o trabalho sujo de quem manda nos clubes, fanatizando, fidelizando e sobretudo estupidificando a mentalidade dos adeptos.

Em suma: fazendo propaganda, e da reles e barata, porque aquilo não é jornalismo, uma vez que para falamos de jornalismo é condição sine qua non haver independência.

Esta semana temos jornada a meio da semana, e na Quarta há um tremendo jogo no Mestalla entre o renascido Valência e o Real Madrid de Zidane.

O Valência vem de vencer no Sánchez Pizjuán o Sevilha, e está a escassos três pontos do quarto posto, que dá acesso à Champions.

A formação che demorou a estabilizar um onze, mas desde que o quinteto da frente estabilizou ( Parejo a médio criativo, Carlitos Soler e Guedes nas alas, e a dupla Gameiro/Rodrigo na frente) a equipa começou a ter cada vez melhores resultados, e promete ter uma excelente ponta final de Liga.

No Madrid  Zidane parece estar a querer experimentar todos os jogadores de modo a escolher quem fica e quem sai, e embora no Domingo a equipa tenha tremido, o Mestalla é o primeiro grande teste à evolução do Real desde que o francês pegou na equipa.

Um grande jogo em perspectiva, sobretudo porque o Madrid recuperou sob a batuta de Zizou o poder de fogo, e o Valência recebe os merengues em alta, acredito num jogo aberto com muitos golos. Vejo valor nas seguintes apostas BTTS,é uam delas, mas creio que há ainda mais valor em duas linhas:

  Over 2.5 e BTTS @ 1.80 na Tripbet

  Over 3 @  2.00 na Tripbet

 

Nos restantes jogos vejo valor no BTTS no Athletic vs Levante, acho o back ao Barça no Madrigal bem pago.

Acho que a Real Sociedad vs Betis pode ser um excelente jogo para os overs de golos.

Os jogos do Rayo e do Huesca são duas finais, pelo que podem ser jogos muito tácticos, com poucos golos e muita indisciplina, tal como o Leganés vs Valladolid, está muito em jogo.

Veremos se o Atleti confirma as boas sensações no Wanda contra o Girona, o adversário que eliminou os colchoneros da Copa del Rey este ano, uns catalães que este ano têm a proeza notável de terem vencido no Bernabeu e no Wanda, e como reagem Sevilha e Espanyol às derrotas nesta ronda, eu espero pelo Live nestes encontros.

Rayo Vallecano vs Atlético de Madrid

A jornada 23 da Liga foi marcante, e há um antes e depois dela no campeonato dos grandes.

Rayo Vallecano vs Atlético de Madrid – O Real Madrid ultrapassou o Atlético no confronto directo no Wanda, e parece estar a aproximar-se cada vez mais perigosamente do Barça.

 

Os colchoneros mostraram os defeitos de sempre quando foram encostados às cordas, e estão com a temporada em risco, uma vez que defrontam a poderosa Juventus nos oitavos da Champions e parecem estar irremediavelmente afastados do título.

O Athletic aprofundou a crise do Barça, e o resultado poderia ter sido ainda mais nefasto para os catalães não fosse Ter Stegan. Messi não está bem, e sem o melhor Messi o Barça parece uma equipa humana, vulgar e falível.

Neste cenário o Real Madrid emerge deste semana como o grande vencedor, e numa semana encurtou os dez pontos do Barça, que agora são uns magros seis, um cenário preocupante para os catalães sobretudo porque neste mês tem duas deslocações duras ao Sanchéz Pijuán e ao Bernabeu. Sim temos Liga!

O Real Madrid está de volta, e não morreu, ao contrário dos prognósticos mais pessimistas.

A bem dizer o Real Madrid nunca deixou de andar por aí, apesar da tremenda sensação de fragilidade que deu a determinada altura desta temporada, afinal de contas a equipa é a mesma que venceu as últimas três Champions, e apesar da importante saída de Cristiano Ronaldo, não desaprendeu, nem perdeu qualidades.

O mérito do que está a fazer deve ser atribuído ao treinador Santigo Hernán Solari, que soube ter a coragem de apostar nos jogadores em função do seu estado de forma e não do seu nome. Vinicius, Reguilon, Ceballos, Lloriente e Odriozola. É um Madrid rejuvenescido, no qual os consagrados sabem que têm que trabalhar para terem lugar na equipa.

Boa parte do trabalho de um treinador como gestor da equipa é saber ser justo, e fazer com que o grupo acredite no seu trabalho.

Solari começou por sentar Isco, que alegadamente tinha peso a mais por causa da dieta Vegan, que iniciou sem dar cavaco a ninguém no clube. Aquilo que começou num vulgar caso disciplinar soube o treinador transformar num paradigma.

Hoje Isco é um não problema, na justa medida em que deixou de contar nas opções do treinador, foi claramente um jogador que não se soube adaptar ao novo tempo.

O paradigma da mudança radical é o facto de Gareth Bale ser actualmente suplente de um Vinícius que ainda tem altos e baixos, que ainda não de fazer como jogador.

Solari parece estar a espicaçar o galês, exigindo-lhe mais rendimento e criando com isto forte competitividade.

O mesmo se passa com Reguilon, que parece ter roubado o posto de lateral esquerdo a Marcelo, e inclusivamente Casemiro está com o posto em risco, vitima da concorrência de um Lloriente em grande forma.

A melhor notícia do jogo de Amsterdão é que Asensio está de volta, e portanto a equipa passa a ter ainda mais soluções.

Tudo somado o Real Madrid parece ter mudado muito, e se a equipa era frequentemente retratada como um grupo de veteranos acomodados, e que viviam à sombra da bananeira, agora essa imagem está totalmente ultrapassada, e o que emergiu foi uma equipa ambiciosa, lutadora e com grande classe.

A parte mais difícil está feita, o futebol do Real Madrid está de volta, mas agora há que ter prudência e evitar euforias.

Diz Eduardo Inda que esta semana Sérgio Ramos teve um discurso duro no balneário a pedir pés no chão, humildade e não às euforias.

O Capitão do Real Madrid, a cumprir a 13.ª temporada no clube e o único jogador da história a apontar golos em 15 Ligas consecutivas, conhece bem esta situação, e o seu alerta tem peso e importância neste momento concreto, ele sabe bem que não se ganham Ligas e Champions em Fevereiro.

Derby de Madrid em Vallecas, o Rayo recebe o Atleti. Os colchoneros vêm de apanhar uma paulada tremenda, com a derrota caseira contra o Real, e não se podem afastar mais sob pena de abdicarem da Liga.

É o inicio de uma semana de decisões para o Atleti, que a meio da semana recebe a Juventus no Metropolitano, e é fundamental ganhar confiança para um desafio tão brutal.

Visitam um Rayo que está a perder gás, depois de um grande início de ano, e vem numa série de duas derrotas consecutivas. Gosto da Odd, acho que os colchoneros não vão permitir veleidades à turma de Vallecas.

  Rayo Vallecano  Vs Atlético de Madrid 

Tip: Atlético de Madrid  AH -0.75 @ 2.05 

Nos restantes jogos dos grandes o Real Madrid recebe um Girona cada vez mais aflito.

As odds estão demasiado roídas, tudo é mal pago, dos overs, aos hadicaps, creio que é um jogo interessante para apostar nos golos no Live. Alternativamente uma opção razoável, e mais ou menos bem paga, é apostar no back ao Madrid no HT.

O Barça recebe o Valladolid antes de enfrentar o Lyon. Creio que, com o Barça em semi crise e com Messi com moléstias musculares, é normal que haja rotações, e assim sendo acho que há muito valor no Under 3.5.