Métodos de Entrada & Saída em SportsBooks

Em primeiro lugar quero pedir desculpa, este artigo, não é para todos, muito menos para se concordar… é um mix de artigo de informação e opinião, que pretendo deixar, como se de um grito de alerta se tratasse…


Há uns largos meses um amigo “Português” disse me “…a Indústria de Betting em Portugal está 10 anos atrasada comparativamente com o que se passa em Jurisdições mais “SHARP”…” eu hoje, concordando com a parte da Indústria, digo… nós apostadores… não temos de ficar…

Há muitos meses que queria escrever sobre este tema, que é complementar ao Betting mas que no Fundo se pode enquadrar naquilo que gosto de chamar de Tópicos de Execução. Um apostador mais esclarecido sabe que não só na capacidade de análise e de procura de valor residem as diferenças, para aqueles que enquadram o espetro recreativo, mas sobretudo a execução e procura de melhores alternativas são uma parte importante do processo, procura de novos mercados, novas “outs” e novos métodos de entrada e saída.

A nossa análise crítica, enquanto apostadores, é muito pouco aprofundada em relação às Bookies que utilizamos, assumimos às vezes centenas de euros de carteira em bookies que não merecem mais de 50 euros e nos confiscam porque lhes apetece, e quanto aos métodos de pagamento apresentamos sempre enormes resistências, sobretudo para alterarmos o que é no nosso MODUS OPERANDI.

Quero com isto dizer que os métodos de entrada e saída dos bookies são um aspeto cada vez mais importante e a ter em conta, na Indústria, sobretudo do lado dos Apostadores.
Vou propor uma divisão em 3 categorias, para assim ser mais fácil, não só o entendimento do que pretendo transmitir, mas também para que possam olhar e perceber em que categoria se inserem, de maneira a percebermos se o nosso “betting” está de acordo com os nossos métodos de “in & out” das casas.

1 – Métodos de Depósito Tradicionais

Utilizados por apostadores menos experientes e que controlam pior o lado “informático” Preferem a Banca Física em Geral, não só pela transacionalidade ser imediata, e gostam de sentir o peso do Dinheiro no depósito e no levantamento dos talões e quando experimentam o on-line, utilizam sobretudo métodos de depósito, como o Multibanco (Pagamento de Serviços) e em alguns casos, para os mais arrojados o pagamento com o Cartão de Crédito, no caso dos nossos irmãos no Brasil, não vivem sem o Boleto e/ou o Paysafecard.

2 – Métodos de Depósito Intermédios

Estes são para os apostadores que já não utilizam apenas Bookies Legalizados nas jurisdições nacionais e procuram alternativas que no chamado “Black Market”, quer em outras jurisdições que aceitem os ID´s desses países, enquanto um cidadão com o ID de um país como Brasil pode abrir conta em qualquer bookie do Mundo, um cidadão com ID de Portugal está bem mais restringido, graças ao trabalho que o SRIJ tem feito a incomodar todas as bookies que mantenham acesso a apostadores em Portugal, estes apostadores já procuram alternativas ao métodos de depósito Tradicionais e claro já utilizam as Skrill e as Neteller como alternativas, alguns casos mesmo carteiras como Ecopayz, encontram métodos alternativos de circulação de capital e estão muito ligados ao lado Asian e dos Asian Markets, apostam já em Brokers (Sportsmarket, Punterplace, AsianOdds, Bet-IBC, Betuppro entre outras) já operam com mais volume do que os primeiros, já fazem uma execução com mais apostas Simples e procuram bookies com Low Juice, ou “menos vIG” como diriam os nossos congéneres dos EUA.

3 – BITCOIN e Crypto Wallets

Aqui está o que admito 90% já ouviram falar, 40% leram qualquer coisa ou tem um amigo que usa ou já utilizou, e talvez 3% utilizem frequentemente. É por aqui que queremos abrir a caixa de Pandora, e numa sequência de próximos artigos na Betopedia, é por aqui que nos vamos focar.

Em primeiro Lugar, é simples de perceber que tudo o que é Crypto currencies envolve riscos adicionais, pois tirando algumas moedas (Ex_USdt) não estão indexadas a nada e por isso podem desvalorizar enquanto estão na Carteira, assim como valorizar, claro está, estamos a falar de algo que muitos de nós, já não se recordam, porque estando no sistema Euro há cerca de 20 anos, acabou em muitos casos com as nossas perceções de sistemas bi-metalistas em que tínhamos sempre uma moeda “boa” (de refúgio) que entesouramos e claro, uma outra que trocávamos e fazíamos cricular, a moeda “má” como descrito na conhecida lei de Greshan.

Com os Btc, LiteCoin, Monero, Usdt e Ethereum passa-se algo muito parecido, quem usa, tem de saber ou pelo menos ter uma “expectativa” do potencial de desvalorização e por isso a tendência de muitos apostadores mais “experientes” é inclusive “entesourar” esta moeda virtual, e quem sabe livrar-se de dólares e euros que numa fase de Pandemia, podem “atrapalhar”.
É senso comum que muitas das Crypto têm sido tomadas como moedas de refúgio e por isso, o apetite por esse tipo de moeda tem crescido com a Pandemia.

Vide Quadro Abaixo com Preço Btc YoY

Fonte: https://ycharts.com/indicators/bitcoin_price

Assumindo este instrumento como um veículo à circulação de Capitais, e porque aa legislação europeia permite que cidadãos Europeus tenham Carteiras onde podem “guardar” e Transacionar este tipo de ativos, queremos com o presente artigo chamar a atenção para várias das vantagens de nós enquanto apostadores poderemos e devermos ter uma parte da banca neste tipo de ativos, algo que iremos resumidamente, explorar numa segunda parte do artigo.

Agora que identificámos e catalogámos os apostadores em 3 tipos e indexamos os métodos de “in e out” que utilizam, vamos procurar focar no último aspeto e procurar dar algumas notas sobre o tema.
Vamos focar em 3 Aspetos, Transacionalidade, Custos e Privacidade.
Quanto aos custos, e comparativamente com os Custos das alternativas (Skrill e Neteller), ou com o tempo do Serviço, Bookie para Banco e quanto à privacidade (quem fez o quê).

Comecemos por este último.
Se for uma transação de uma casa de apostas legalizada, digamos um Levantamento de uma Marca registada e Legalizada em Portugal para uma conta de um cidadão Português, o único “inconveniente” é que o Banco nos seus registos e Data Minning fica com a informação de que o individuo em questão, é Apostador, ou que gosta de Apostar, a nossa privacidade é ligeiramente afetada, o mesmo não acontece se se tratar de um pagamento de um valor para o Banco duma casa que não esteja legalizada, abre se um novo espetro de questões, que não iremos abordar, mas… a privacidade nestes casos, não existe…

Custos, de uma transferência para carregamento de SKRILL ou NETELLER (Existem), custos de passagem para uma Bookie (podem existir ou não, algumas já estão a cobrar), custos de levantamento da (bookie para wallet) podem existir ou não mas voltam a existir custos de levantamento, ou para Banco ou com Cartão, basicamente, a uma média de 2 Euros por Transacção e 50-100 Transações por ano… temos aí uma renda, que temos de deduzir a todos os nossos Custos operacionais, VPN, Software entre outros.
E por último a Transcionalidade, quando andamos com euros no Bolso, não temos reais, ou dólares, e somos limitados a esse tipo de interações e vice-versa.

Estes são 3 temas que as Cryptowallets e Exchanges resolvem…
As transferências embora taxadas são taxadas a valores baixos, sobretudo se escolhermos bem, as nossas Wallets e moedas, as transferências são, privadas, sobretudo em Ltc (Litecoin) e por isso consigo alocar uma verba numa casa da Costa Rica, levantar, alocar num Agente na Ásia e à noitinha, levantar e colocar no Banco, seja ele on-line na Alemanha ou na banca Tradicional em Portugal.

Tudo isto que está aqui descrito, pode não ser utilizado, mas tem de ser conhecido, da mesma maneira que um apostador, semi profissional, tem de conhecer e dominar conceitos de Mercado e Closing Line Value, há um Mundo para lá da porta dos sistemas Tradicionais, há uma panóplia de Agentes e de Casas de Apostas, com preços melhores e alternativas de Mercado só no lado Crypto.

Não se mantenham apenas no lado tradicional porque se acomodam com o falso sentido de que é “mais seguro”, reparem que os não pagamentos, confiscos, problemas com Bancos, casas que desaparecem, estão todos desse lado, aparentemente seguro mas que funcionam muito com desinformação, ou melhor, com o Marketing como escudo e a desinformação como espada.


É nossa obrigação alertarmos que existe vida para além dos sistemas tradicionais.
Agradeço fortes comentários e opiniões a este artigo, e certamente poderemos voltar ao tema.

Artigos Complementares:

Bitcoin Sportsbooks – Benefits And Disadvantages

https://tkeyorg.medium.com/gambling-with-crypto-pros-cons-to-consider-before-making-a-bet-823f039c255d

https://www.bitcoininsider.org/article/81464/what-are-pros-and-cons-betting-cryptocurrencies

https://smartbettingguide.com/crypto-sports-betting/

Bitcoin Bookmakers

https://en.wikipedia.org/wiki/Gresham%27s_law

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *