Uma rivalidade de campeões de outrora – St. Étienne vs Nantes

Rivalidade de campeões

Rivalidade de campeões – No “Rivalidades” desta semana viajamos até França, para falarmos de um jogo que teve uma importância fulcral no panorama futebolístico gaulês durante cerca de 20 anos, ainda no século passado.
Apesar de neste momento ambas as equipas estarem muito afastadas – em termos de qualidade e de títulos. Mas daquilo que já foram outrora, esta partida representa ainda muito para os adeptos que se habituaram a ver esta confrontação como a mais importante da época desportiva.

Nantes no Rivalidade de campeões

Desde que entrámos no século XX, apenas o Nantes se conseguiu sagrar campeão da Liga Francesa, mais concretamente, em 2000/2001. Ou seja, já há 19 anos atrás.

Rivalidade de campeões

Com o domínio do Paris Saint German (PSG) sobre a liga, secando tudo à sua volta, mais difícil se torna chegar ao tão ambicionado título.

Neste momento, há várias equipas que têm um poderio financeiro maior que os “verdes” e que os “canários”, alcunhas pelas quais são conhecidos St. Étienne e Nantes, respetivamente.

Para além do PSG, Marselha, Lyon, Mónaco e até o Lille parecem estar com uma melhor saúde financeira e, na verdade, melhores planteis.

Da fundação aos 20 anos de domínio

St Etienne no Rivalidade de campeões

Começamos pelo St. Étienne

Os verdes e brancos surgiram em 1919, através da vontade de alguns trabalhadores da cadeira de mercearias Groupe Casino. O verde foi escolhido para pintar os equipamentos devido às cores que representavam os famosos espaços comerciais.

Por sua vez, o Nantes, mais recente, foi fundado em 1943, decorria a II Guerra Mundial. Mas desde logo se percebeu que a intenção dos seus responsáveis é projetar o clube para patamares altos de competitividade.

Em 1956/57, o St. Étienne deu a tão ambicionada prenda aos seus seguidores: sagrou-se campeão de França pela primeira vez na sua história.

Quando se pensava que iriam ficar na elite no futebol francês, devido a um plantel que tinha nomes sonantes como: Claude Abbes, Robert Herbin, René Ferrier, Kees Rijvers e Georges Peyroche, acaba por descer de divisão em 1960/61.

Dois anos depois, regressa à primeira divisão e para dominar: começava em 1963 a época mais dourada dos verdes.

Equipa do st etienne

Por acaso, esta fase boa que se adivinhava poder levar a títulos, coincide com um Nantes que também se estava a demonstrar forte. Mas então, ambas as equipas tomaram as rédeas do futebol francês, entre 1963/64 e 1983/84.

 

Rivalidade de campeões

Betopedia Telegram

Foram 20 anos em que apenas cinco troféus escaparam quer a uma, quer a outra: nove campeonatos para o St. Etienne e seis para o Nantes. Mónaco, Marselha e Estrasburgo foram interrompendo momentaneamente esta liderança bipartida.

Aqui está, uma rivalidade que começa quase exclusivamente pelo que se passava dentro das quatro linhas. Durante estes 20 anos, as partidas entre as duas equipas eram os pontos mais altos das épocas, sempre muito antecipadas pelas televisões e rádios nacionais.

Digo “quase” porque a animosidade cresceu também por outros motivos. Primeiro, devido ao facto de ser o confronto entre as duas principais e mais modernas academias de formação de futebolistas gaulesas.

St etienne no Rivalidade de campeões

Em segundo, porque os jogos entre St. Etienne e Nantes eram o principal palco de duas formas distintas de se entender o futebol, com origem em dois contextos sociais diferentes:

– Os verdes, impulsionados pela força mineira e industrial da cidade, tinham um estilo de futebol mais direto, mais físico e mais intenso, que “bebeu” muita inspiração do “kick n’ rush” britânico;

– Os canários, inseridos numa cidade mais burguesa e com mais poderio económico, jogavam um futebol mais de posse de bola, que privilegiava a qualidade técnica dos seus jogadores e o ataque posicional. Jogos elegantes, tal como a cidade gostava de ser reconhecida.

 

Rivalidade de campeões

Durante esta altura, brilharam jogadores como: Jean-Michel Larqué, Hervé Revelli, Johnny Rep and Michel Platini – sim, esse mesmo – para o St. Étienne, e como Henri Michel, Maxime Bossis, Jean-Paul Bertrand-Demanes, Loic Amisse, Vahid Halilhodzic para o Nantes.

Para os homens que domingo jogam em casa, os verdes, a época dourada viria a terminar abruptamente com a descida de divisão. Mas logo a seguir ao último título. O Nantes, mantendo-se na primeira divisão, viria a ganhar por mais duas vezes, em 1994/95 e em 2000/2001.

Como consequência do declínio de ambos os clubes, a importância do clássico também se viria a esfriar para os meios de comunicação. Mas não para o adeptos, que ainda olham para este confronto como um dos mais importantes do ano.

estatísticas no Rivalidade de campeões

A estatística

Como já pudemos verificar, estamos a falar de duas equipas que já se sagraram campeãs do seu país. E por um número de vezes “razoável”, algo que muitas das equipas que abordamos aqui na nossa rubrica não pode alegar.

Rivalidade de campeões

Quanto ao confronto direto entre ambas, já se jogaram 80 jogos para a Primeira Liga Francesa, com a vantagem a sorrir (a dobrar) ao Nantes.

 

– St Étienne: 18 vitórias
– Nantes: 36 vitórias
– Registam-se 23 empates

 

Já na Taça de França, verdes e canários defrontaram em nove ocasiões, com os primeiros a vencerem cinco vezes, contra três do Nantes (um dos jogos terminou em empate e teve direito a repetição). Em títulos, como vamos poder ver abaixo, também é o St. Étienne que tem a dianteira.

Para terminar, um dado curioso sobre a liga francesa, especialmente para os seus seguidores mais recentes.

PSG no Rivalidade de campeões

Com este domínio do PSG tão evidente (nas últimas sete épocas, foi campeão por seis vezes), quase que se poderia pensar que o dinheiro árabe apenas vinha a restabelecer um controlo sobre o futebol francês que os parisienses tinham perdido antes deste massivo investimento na equipa. Porém, essa não é a realidade.

Rivalidade de campeões

Mesmo sem ganhar um campeonato há 40 anos, o St. Étienne continua a ser o clube com mais títulos!

 

St. Étienne – 10 campeonatos
Marselha – 9 campeonatos
PSG, Mónaco e Nantes – 8 campeonatos
Lyon – 7 campeonatos
Bordéus e Reims – 6 campeonatos

 

A atualidade

Este jogo faz parte da jornada número 30 da Liga Francesa, a primeira do novo ano de 2020. O St. Étienne, clube que joga em casa, encontra-se no 14º posto da classificação, encontrando-se numa má forma: vêm de três derrotas seguidas para o campeonato.

equipa do nantes no Rivalidade de campeões

Por sua vez, o Nantes, está num excelente quinto lugar, a dois pontos do Lille. Soma três vitórias nos últimos cinco jogos.

Atualmente, os verdes e brancos são treinados por Claude Puel, conhecido sobretudo pelo seu trabalho no Lyon, mas também pelos tempos que passou na Premier League, ao serviço do Southampton e do Leicester. Christian Gourcuff é o timoneiro do Nantes, ele que tal como o seu colega do St. Étienne assumiu o controlo da equipa no início da época.


Recentemente, os canários tiveram dois treinadores portugueses nas suas fileiras, que saíram por razões diferentes:

Sérgio Conceição no Rivalidade de campeões

– Sérgio Conceição, em 2017, que saiu no final da temporada em divergência com o presidente Waldemar Kita – alegadamente por ter forçado a rescisão –, face ao convite do Porto;

– Miguel Cardoso, que depois de uma grande temporada do Rio Ave, em 2018/2019 assumiu os destinos do Nantes. Mas as coisas não lhe correram bem e acabou por ser despedido, devido a maus resultados, logo em outubro.

Quanto aos maiores protagonistas, os jogadores, os planteis de St. Etienne e Nantes não são tão ricos como foram noutros tempos.

No entanto, há alguns nomes que se destacam, com os verdes e brancos, na minha opinião, a terem mais qualidade que os seus oponentes.

E é precisamente pelo seu elenco que começamos, onde realço: o médio box-to-box M’Vila. O experiente central francês Loic Perrin (capitão de equipa), o guarda-redes Ruffier. Mais o extremo Wahbi Khazri (ex-Sunderland, onde era figura de proa), e ainda o lateral Debuchy. Que até há bem pouco era um dos mais promissores jogadores gauleses para a posição, com uma lesão a estragar-lhe a progressão que se lhe adivinhava.

Rivalidade de campeões

Já o Nantes, mais modesto – o que realça ainda mais o trabalho de Gourcuff esta época –, tem como figuras principais o seu guarda-redes, o promissor Alban Lafont, Kalifa Coulibaly, que me arrisco a dizer que é grande craque desta equipa, atuando preferencialmente pelas alas, e ainda Fábio da Silva, um dos dois gémeos “Silva” que Alex Fergunson lançou no Manchester United durante o seu reinado.

sala jogador do nantes

Por outros motivos, o Nantes esteve recentemente na ribalta da atualidade mundial. Era aqui que jogava o malfadado futebolista argentino Emiliano Sala, em 2018/19. Que faleceu num acidente de aviação quando estava a caminho do seu novo clube, o Cardiff.

Em termos de resultado, parece ser um jogo de tripla, mas a verdade é que é um clássico do futebol francês. Mas por isso, o espectador neutro, está sempre à espera de um bom espectáculo.

Carlos Ribeiro no Rivalidade do Rivalidade de campeões
Carlos Ribeiro – Jornalista no Rivalidades na Betopedia 
ReloadBet Bónus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *